21 out 2015 - 21h54

Yo soy FURACÃO!

Foi um duelo tipicamente sul-americano. Teve catimba, muita reclamação, erro de arbitragem, adversário briguento… mas, enfim, o Atlético voltou a vencer depois de seis partidas, derrotou o Sportivo Luqueño por 1 a 0 e mostrou poder de reação na Copa Sul-Americana.

Tão importante quanto vencer, o time voltou a demonstrar momentos de bom futebol, apostando nas jogadas em velocidade e nos toques de bola objetivos e para cima do adversário, uma receita que se mostrou eficaz aos 18 minutos do segundo tempo, quando Walter fez a jogada na direita, cruzou para Nikão que inteligentemente rolou a bola para Marcos Guilherme fazer o gol que garantiu a vitória.

O jogo ainda teve dois erros cruciais do árbitro peruano Victor Carrillo, que aos 10 minutos anulou um gol legítimo de Walter, alegando falta não existente de Kadu; e no lance do gol rubro-negro não marcou a falta no início da jogada do próprio Walter.

O Furacão teve ainda a chance de ampliar com Marcos Guilherme, aos 39’, e Weverton garantiu a vitória com uma bela defesa na conclusão de Di Vanni, aos 44’.

CRAQUE: Walter se mostrou mais uma vez decisivo para o Furacão, dos seus pés saíram as principais jogadas no ataque e o camisa 18 deu trabalho para a defesa paraguaia.

NERVOSO: O Sportivo Luqueño se mostrou nervoso em vários momentos da partida, com os jogadores tentando discutir com os atleticanos em vários momentos.

TORCIDA: O encontro de brasileiros e paraguaios rendeu uma bonita festa das duas torcidas. Antes da bola rolar, nas imediações da Arena, o clima de confraternização entre os torcedores deu um brilho a mais à partida.

O GOL
1X0 – 18’/2º: MARCOS GUILHERME – Walter faz boa jogada na direita, se livra da marcação e cruza para Nikão, que dá o passe preciso para trás para Marcos Guilherme chutar com força e garantir a vitória.

%ficha=1143%



Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…