5 mar 2017 - 21h51

Conheça a U. Católica, próxima adversária do Atlético

O Club Deportivo Universidad Católica é um tradicional clube chileno sediado na capital do país, Santiago. Fundada em 21.4.1937, a equipe tem no currículo a conquista de 12 campeonatos chilenos, tendo sido a campeã nas últimas duas edições do torneio (Clausura/2015-2016 e Apertura/2016-2017). Antes disso, no entanto, a última vitória na competição havia sido no ano de 2010.

No âmbito da Copa Libertadores da América, o clube acumula 23 participações, tendo alcançado a semifinal em 3 oportunidades (1962, 1966 e 1969), e a final em outra ocasião, no ano de 1993, quando foi derrotada pelo São Paulo (BRA), que veio depois inclusive a se sagrar campeão mundial interclubes ao final daquele ano.

A Católica é um dos três maiores clubes de futebol de seu país, e tem como principais rivais outras duas grandes agremiações de Santiago: o Colo Colo e a Universidad de Chile, a “La U” – ambas, diga-se, mais antigas que a Católica, tendo sido constituídas, respectivamente, em 1925 e 1927.

No que tange à torcida, a Católica ocupa o terceiro posto entre as maiores do país. Uma análise realizada no ano de 2006 pelo “Estudio Chilescopio”, reconhecido instituto de estudo das tendências entre os chilenos, revela que a equipe atrai a adesão de cerca de 10% da preferência nacional, contra 26% da “La U” e 42% do Colo Colo.

Atualmente, a despeito de ter triunfado nos últimos dois campeonatos nacionais, a Católica não vem realizando uma boa temporada no Torneo Clausura 2016/2017. Ocupa a penúltima posição na competição (15º lugar), estando à frente apenas do Palestino, que tem 1 ponto ganho. Em 5 jogos disputados até aqui, a UC tem 3 pontos decorrentes de uma vitória na partida de estreia contra o San Luis de Quillota, uma modesta equipe do Vale do Aconchágua. De lá para cá, foram 4 jogos e 4 derrotas, sendo a última registrada no sábado para o Colo-Colo por 2 a 0, naquele que se chama “Clássico Albo-Cruzado”.

Em relação à última temporada, a Católica registrou uma importante baixa. O jogador Nicollás Castillo, que marcou 13 gols em 12 jogos, retornou ao clube que detém seus direitos econômicos (Club Brugge) e foi emprestado ao Pumas, do México. Isto certamente constitui um problema para o técnico Mario Salas, que conta também com o uruguaio Santiago Silva, ex-Corinthians e Boca Juniors, para o setor de ataque.

A má campanha no campeonato nacional aumenta a pressão da Católica na Libertadores. O time não poupou titulares no clássico e levou um passeio do Colo-Colo. Nas palavras do jornal El Mercurio, a vitória foi “contundente, categórica e incontestável”. O diário chileno resumiu o clima para a estreia contra o Furacão do seguinte modo: “As dúvidas são muitas. Os temores, enormes”.

Declínio

O declínio técnico do atual bicampeão chileno impressiona os jornalistas e preocupa os torcedores. A equipe parece não se acertar nesta temporada.

O técnico Mario Salas arma a equipe com uma linha de três defensores, quatro meio-campistas, dois pontas e um centroavante fixo. Em determinados momentos, altera o esquema para o 4-2-3-1. Santiago “El Tanque” Silva é o homem de referência no ataque – mas não marca um gol há 100 dias.

O meia-atacante Diego Buonanotte é um dos preferidos da torcida, mas também não passa por um bom momento. O nervosismo é tanto que o treinador Salas foi expulso nos dois últimos jogos.



Últimas Notícias

Hugo Moura comemora golaço marcado na Arena

Brasileiro

Volte sempre, meu vice.

Na Arena da Baixada, Athletico 4 x 2 RB Bragantino. O Athletico entrou em campo com um time bastante modificado, poupando jogadores para o confronto…