O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
12 maio 2017 - 15h18

As estratégias da diretoria e do técnico

A sensação que dá é de um amadorismo total. Ano passado, o mote era apostar na juventude, nos garotos da base, mesclados com os ‘experientes’ André Lima, Lucho, Paulo André, etc.

Milagrosamente nos classificamos bem no Campeonato Brasileiro e para a Libertadores.

Bom, dada a importância da Libertadores, foram buscar jogadores com experiência neste torneio, mas em final de carreira, na faixa dos 34-38 anos. Trouxeram Grafite, Lucho Gonzales, Carlos Alberto e Jonathan.Todos bichados. Ganhando salario sem atuar.

Jonathan e Carlos Alberto, o pouco que jogaram até contribuíram um pouco, mas Grafite e principalmente Lucho Gonzales, que apesar de jogarem mais partidas, não jogam absolutamente nada. Talvez uma década atrás tivessem seu protagonismo. Mas hoje, são ex-jogadores com passatempo profissional.

Lucho Gonzales deve ser o recordista mundial de passes errados por jogo, da ordem de 95%. Não sei como ele consegue ser tão inoperante.Nem desarmar consegue.

Grafite tinha que pegar as malas e ir embora de vergonha. Um golzinho até agora.E na mesma linha do Lucho – passes errados aos montes. É brincadeira.

O negócio dos amadores é buscar jogadores do passado, mas bem baratinhos atualmente e ver se damos sorte de um lampejo. Até agora a luz deles está apagadinha, apagadinha. Pelo que produziram saem muito mais caros do que se tivessem contratados jogadores em ascensão.

Outra opção é repatriar ‘craques’ como Douglas Coutinho, Bruno Mota, que não tem valor de mercado, pois são horríveis. cada vez que jogam, valem menos.

E para completar o esquadrão mais dois encostados: Guilherme e Ederson, para ver se ressuscitamos mais dois mortos.

Ou seja, jogam no Atlético jogadores de 34 a 38 anos ou de 19 a 22 anos. A etapa em que os jogadores se consolidam e são realmente úteis para o time não nos interessa, de acordo com os estrategistas futebolísticos do Atlético.

Está muito difícil assistir os jogos do Atlético. Nenhum gol nos últimos 4 jogos.Nem contra o fraquíssimo Santa Cruz.

O Brasileirão vai nos trazer muitas emoções. Estou bem desesperançoso.



Últimas Notícias