5 jul 2017 - 22h20

Eduardo, Éderson e Lucho falam sobre placar

Diante do complicado placar de 3 a 2, na derrota para o Santos na Vila Capanema, nessa quarta-feira (05), o técnico Eduardo Baptista, o atacante Éderson e o meia Lucho González falaram após o jogo sobre a equipe e acreditam que o Atlético ainda tem chances de se classificar.

"Fizemos um grande primeiro tempo, muito equilibrado. A equipe continuou criando depois dos gols. Teve 10 finalizações a mais que o Santos. Teve uma posse de bola superior. Mas o Santos foi mais eficiente e nós não fomos ‘felizes’. Mas a equipe lutou", avaliou o treinador.

O atacante Éderson concordou com a boa atuação do time e ainda pediu apoio ao torcedor. "Acho que jogamos muito bem. O primeiro tempo foi justo, pressionamos e fizemos o gol e eles foram uma vez e fizeram o gol. Assim como foi na Arena, mandamos no jogo todo e eles ganharam. Acho que 3 a 2 temos mais chance do que 3 a 1. Vai ser mais difícil, mas podemos chegar lá, ser mais eficiente e fazer gols", afirmou. O técnico ainda complementou: "Um placar de 2 a 0 na vila não é impossível. Se a torcida confiar em nós, vamos atrás dessa classificação".

Já Lucho afirmou que agora não é hora de buscar responsáveis, mas concentrar para as próximas partidas. "Fizemos um grande primeiro tempo, mas na primeira situação que o Santos criou, conseguiu converter. Sabemos que é um time de muita qualidade, mas acho que mesmo com o resultado fizemos um bom jogo, pressionamos e criamos situações de gol, mas não conseguimos converter como eles fizeram. Dá para reverter, no futebol tudo pode acontecer. Assim como perdemos o jogo em casa, podemos ir lá e vencer. Vai ser um time que não vai sair desesperado, tem muito jogo pela frente", avaliou.

Sobre a falha do goleiro Weverton, o camisa 3 saiu em defesa do colega. "A vida de goleiro é assim, quando acontece um erro você lamenta. Ele é o capitão, um grande goleiro de seleção, e se estamos disputando essa fase, 80% é por causa dele. É injusto botar a culpa, mas é um grande profissional que vai saber reverter essa situação. A gente pode errar um passe e temos ele pra proteger, quando o goleiro erra não tem ninguém", argumentou. O argentino também afirmou que não há um único culpado, mas que o time precisa continuar trabalhando. "Não vamos buscar responsáveis. Não há um culpado, o grupo que é culpado. Infelizmente não estamos conseguindo essa solidez que tínhamos ano passado, mas vamos continuar trabalhando que com certeza as coisas vão melhorar. Agora é pensar no domingo", finalizou.



Últimas Notícias

Notícia

Deu tela azul, no Azuriz

Pela sexta rodada do Campeonato Paranaense o Athletico recebeu o Azuriz. E desde o início demonstrou que está em franca evolução. Já aos 4 minutos,…