14 set 2020 - 18h15

A branca que traz paz

O segundo uniforme dos clubes costuma trazer cores que sejam complementares ou até mesmo secundárias na vestimenta do time. O uniforme número 2 em grande parte das vezes tem predominância do branco, mesmo que esta não seja uma das cores oficiais do clube. No caso do Athletico essa é uma verdade bastante concreta: na imensa maioria das vezes, o segundo uniforme foi branco.

No lançamento dos uniformes no final de 2018, estava lá a camisa branca que entraria para a história.

A estreia e a despedida

O Athletico já jogou com a nova camisa branca no começo da temporada de 2019. Empatou em zero fora de casa com o FC Cascavel e já na rodada seguinte o time de aspirantes usou-a novamente, vencendo o Rio Branco por 0 a 2, com o recém contratado volante Erick tendo marcado o primeiro gol com a nova vestimenta e com Matheus Anjos complementando o placar.

Já a saideira da camisa branca ocorreu em São Januário, local onde o histórico do Athletico com qualquer uniforme é péssimo. Uma partida fraca do time e derrota por 1 a 0 diante do Vasco da Gama pelo Brasileirão 2020.

Números

Por ser a camisa visitante, o Athletico somente jogou de branco fora dos seus domínios, o que impacta substancialmente nos números da utilização do segundo uniforme. Entre Campeonato Paranaense, Copa do Brasil, Libertadores da América, Campeonato Brasileiro e Supercopa do Brasil (na Copa Suruga e Recopa Sul Americana a equipe jogou de rubro-negro), o uniforme branco foi utilizado 17 vezes, com saldo de 7 derrotas, 5 empates e 5 vitórias.

Uma delas, completamente inesquecível.

A Copa do Brasil é nossa

Na noite de 18 de setembro de 2019, o rubro-negro pisou no gramado do Gigante da Beira Rio cercado de uma verdadeira legião de colorados confiantes na reversão do placar para o Internacional. Como mandante, o time gaúcho entrava com seu tradicional uniforme vermelho, cabendo ao Athletico utilizar sua camisa branca, a número dois.

Após pressão inicial do time da casa, o Furacão foi colocando os nervos e as coisas no lugar: a Copa do Brasil tinha dono e era o Athletico! Em bela jogada pela esquerda, Rony encontra o artilheiro Marco Ruben que faz grande assistência para o domínio e conclusão precisas de Léo Cittadini que fez os atleticanos presentes no estádio e em todos os cantos do país confiarem ainda mais na conquista.

Camisa branca fez parte de uma das maiores conquistas do clube. [foto: AGÊNCIA F8/Vinicius do Prado]
O Internacional empatou ainda na primeira etapa e tentava pressionar na base do chuveirinho, imposição física e vontade, mas o Athletico era senhor das ações e sacramentou a conquista inédita com um gol que faz parte da história da competição. Mesmo podendo manter o empate para conquistar a Copa do Brasil, o time se soltou e criou as melhores chances de gol a partir dos 30’ da etapa complementar, cabendo ao veloz Rony, após sequencia de dribles desconcertantes de Marcelo Cirino na atônita defesa colorada junto à linha lateral fazer o gol do título, já nos acréscimos e colocando aquela linda camisa branca na história do clube.

A visão do branco que traz e eternamente trará paz no coração do torcedor atleticano.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…