3 out 2020 - 23h17

Sicupira – Vida e Gols de um Craque Chamado Barcímio

Hoje foi um dia muito especial para a nação atleticana. Um dia que despertou muitas emoções em todos os rubro-negros presentes na Pedreira Paulo Leminski. 

Aconteceu nesta tarde o lançamento da biografia do maior artilheiro do Furacão, o livro “Sicupira – Vida e Gols de um Craque Chamado Barcímio”.

Um evento diferente do que estamos habituados. Porém não deixou de transmitir emoção e sensação de intimidade com o craque da oito. Apesar da situação exigir que o encontro ocorresse a partir de normas de distanciamento, o sentimento transmitido aos presentes gerou uma experiência maravilhosa.

O evento durou quase duas horas e contou com depoimentos de personalidades ilustres como Galvão Bueno e Rivelino, grandes amigos pessoais de Sicupira. Nosso ídolo contou algumas de suas histórias preciosas, sempre em tom muito espirituoso e carismático. Contou sobre seu passado, como foi criado, como iniciou sua carreira, a chegada ao Rio de Janeiro ainda jovem, o título de 1970, entre outros causos de sua trajetória.

A biografia, escrita pelo jornalista Sandro Moser, relata histórias de toda a carreira de Sicupira. A partir de pesquisas e entrevistas com o craque, Sandro trabalhou por dois anos até a conclusão do projeto.

Ficou espetacular.

O livro e o evento de lançamento fizeram jus ao que o ídolo representa para a torcida do Furacão. Muitos atleticanos presentes, encontro perfeito, muita emoção.

Sicupira merecia essa homenagem há muito tempo. E nós, torcedores, estávamos sedentos por poder demonstrar nossa gratidão àquele que tanto representa em nossa história.

E isso se tornou possível hoje.

Dia muito especial para Sicupira. Para o Athletico. Para todos nós.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…