31 jan 2021 - 18h01

Athletico vence o Vozão e segue vivo na briga pelo G8

Neste domingo o Athletico enfrentou o Ceará no Castelão em partida válida pela 33ª rodada do Brasileirão e venceu pelo placar de 2 a 0. Os gols da partida foram marcados por Carlos Eduardo, que entrou na segunda etapa.

A partida começou em ritmo lento, com a equipe do Ceará marcando forte e tentando chegar em velocidade nos contra ataques. E foi justamente desta forma que surgiu a primeira grande chance do jogo, aos oito minutos. Em boa trama da equipe cearense, a bola foi cruzada rasteira na área e Vina, livre, bateu no canto para boa defesa de Santos.

Entretanto, demorou muito até que outra chance de gol acontecesse. O jogo seguiu morno até os 26 minutos, quando Thiago Heleno lançou Canesin pela ponta direita e o meia atleticano cruzou na área. Após desvio na zaga, a bola foi na direção de Vitinho, que cabeceou por cima do gol, na primeira chance do Athletico no jogo.

Aos 33, logo após retorno da parada para hidratação dos atletas, nova chance do Ceará, mais uma vez com Vina. Abner errou um passe no meio de campo e Samuel Xavier fez lançamento para o meia que bateu cruzado. A bola passou diante do gol de Santos. E o lado esquerdo defensivo do Athletico era mesmo o caminho para o Ceará. Dois minutos depois, Vina explorou novamente as costas da marcação e cruzou rasteiro para Cleber, que finalizou travado por Thiago Heleno, sem levar perigo. E esta foi a última chance do primeiro tempo, que terminou empatado sem gols e sem grandes emoções.

O segundo tempo começou com Carlos Eduardo entrando no lugar de Vitinho no time do Athletico, visando melhorar a recomposição pelo lado esquerdo do campo.

Logo aos 33 segundos, Richard perdeu uma bola no meio de campo e Fabinho acionou Vina na entrada da grande área. O jogador bateu rasteiro no meio do gol para defesa de Santos. Aos 7 minutos, o Ceará voltou a chegar pelo lado direito de ataque, em cruzamento rasteiro para Cleber, que chutou a bola no rosto de Richard, sem levar perigo, mas novamente mostrando a fragilidade do setor esquerdo atleticano no jogo.

Entretanto, o jogo voltou ao ritmo do primeiro tempo, com as equipes pouco produzindo ofensivamente e errando muito no último passe. Aos 27 minutos, Canesin deu lugar Zé Ivaldo e Kayzer saiu para entrada de Bissoli. Com as alterações, Khellven e Abner ganharam mais liberdade pelos lados para apoiar o ataque.

Somente aos 37 minutos o Athletico conseguiu chegar no ataque com algum perigo. Abner fez bela enfiada de bola para Bissoli, que bateu travado pelo zagueiro Luiz Otávio, conseguindo escanteio. E mesmo produzindo muito pouco, o Furacão conseguiu abrir o placar. Aos 39, Carlos Eduardo aproveitou bobeira da zaga na saída de bola, arrancou em velocidade, driblou Luiz Otávio e chutou por baixo do goleiro Richard, botando o Athletico na frente.

E se somente a vitória por 1 a 0 já estava de ótimo tamanho, o melhor ainda estava guardado para o final. Aos 47 minutos, Bissoli rolou para o meio, Cadu deu um toque de letra tirando completamente o zagueiro da jogada e tocou na saída de Richard para marcar seu segundo gol no jogo. Uma pintura que definiu o placar do jogo e cravou a segunda vitória seguida do Furacão, ainda vivo na luta pela última vaga para a Libertadores.



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…