4 mar 2021 - 22h26

A falta que você me faz…

De tudo o que mais eu sinto falta é de você.

Sinto falta daquelas nossas tardes de domingo ou das noites de quarta, em que estávamos sempre juntos.

Naqueles pouco mais de 90 minutos nada mais importava.

Naquele tempo juntos, os problemas diminuíam, as doenças físicas davam uma trégua.

A angústia era somente pela hora do gol – e quando ele saía, o sofrimento era pelo fim do jogo, pelos três pontos na tabela, por mais uma taça para a nossa galeria.

Naqueles minutos juntos, meus maiores problemas eram as contusões dos atletas, a eminente saída de alguns ídolos, a pontaria dos atacantes.

Mas, naqueles pouco mais de noventa minutos, eu e todos os outros que ali estavam, éramos felizes. Intensamente felizes.

Que saudade das nossas rotinas. De tomar cerveja no mesmo lugar, entrar pelo mesmo portão e todas as demais superstições que me acompanham. Que saudade dos banhos de cerveja, da cornetagem sadia sobre os bandeirinhas, de aplaudir aqueles que representavam as nossas cores.

Tanta falta você me faz!

Se eu soubesse que aquele gol do Christian seria o último que veria ao vivo por mais de um ano, eu juro, teria aproveitado mais. Teria tomado mais uma cerveja, teria ficado mais tempo após o jogo, até o lanche Copacol eu teria aproveitado. Se eu soubesse que ficaríamos afastados tanto tempo, talvez eu tentasse me esconder em algum canto da Baixada, para que algum dia, livres do vírus, pudéssemos nos reencontrar.

Se eu soubesse que não te veria por tanto tempo, talvez eu tivesse te amado mais, criticado menos, aproveitado mais os nossos momentos juntos.

Mas veio o vírus. Veio a pandemia. E com eles, o nosso distanciamento.

Não te esqueci. Não deixei de acompanhar os teus passos, vibrar com os teus sucessos e sofrer as tuas dores. Tenho o imenso privilégio de morar ao teu lado e, por isso, posso ver tuas cores e ouvir os teus sons durante os jogos. Mesmo a distância, sigo de olho em você.

Que a vacina chegue, que o bem triunfe, que a distância diminua, que eu possa te ver ao vivo novamente.

Pois a falta que você me faz é enorme. Mas o amor que sinto por você é ainda maior.

Que possamos estar juntos logo, meu querido Furacão.



Últimas Notícias

Brasileiro

Saudades do ex? Por aqui, não.

Pela terceira rodada do Brasileirão, o Athletico foi até Porto Alegre para enfrentar o Grêmio de Tiago Nunes. Surpreendente na escalação, António Oliveira iniciou o…