16 dez 2021 - 10h32

… e cantaremos de coração, o tempo todo incentivando o Furacão!

Já passava de meia-noite na Arena da Baixada.

A Final da Copa do Brasil havia acabado há poucos instantes. O milionário e excelente time do Atlético Mineiro havia se sagrado campeão da Copa do Brasil de 2021.

Mas o que se viu no Estádio Joaquim Américo foi algo que dificilmente será esquecido, que talvez não tenha precedentes no nosso futebol.

A missão do Athletico era ingrata. Afinal, tirar uma acachapante vantagem de 0 x 4 seria um feito digno de Ziquita.

Mas o que presenciamos na Arena da Baixada foi um dos capítulos mais emblemáticos da história recente do futebol brasileiro. Vai muito além de um título ou resultado.

O placar e o campeão da Copa do Brasil estavam mais do que decididos, com um sonoro 6 x 1 no agregado. Mas a torcida que vibrava, que cantava e aplaudia os seus era a do Athletico. A torcida que entoava todos os seus cânticos, que celebrava seus ídolos, que apoiou durante os 90 minutos da decisão era a que veste vermelho e preto.

Algum desavisado que sintonizasse a TV no pós jogo sem saber do resultado teria a certeza de que o campeão era o Athletico, tamanha a festa que se viu dentro do estádio.

Tivemos a satisfação de presenciar uma definitiva aula sobre torcer, sobre a paixão de um povo pelo seu clube e suas cores. Fomos arrebatados pelo atleticanismo na sua mais pura essência.

Nesse ano esportivo que termina, lutamos contra tudo e contra todos. Fomos constantemente prejudicados por arbitragens venais, não tivemos apoio da grande mídia, sofremos pela distância dos nossos ídolos em grande parte do ano.

Mas quando nos falta o apoio nos sobra o sangue forte.

Se você não entendeu o porquê da nossa festa na noite de ontem, você definitivamente não entendeu nada.

Ontem foram mais de 30 mil atleticanos dentro do estádio que representaram mais de 2 milhões. Tivemos ausências sentidas de pessoas próximas que também estiveram por lá, em espírito. Os que forjaram meu atleticanismo desde o berço estiveram comigo por lá, de alguma forma. O aplauso ao final da campanha de 2021 foi o reconhecimento pela luta, pela garra de cada um dos jogadores, pela entrega.

Sofremos com a derrota, sentimos a perda de um título, mas nada, nunca apaga o orgulho de ser atleticano.

Finais viraram uma rotina na nossa história recente. Virão outras, venceremos e perderemos.

Mas rubro-negro eu te digo: nesta (e em qualquer) campanha, estarei sempre contigo.

Obrigado pelo 2021 e um 2022 com muita paz.

Assuntos:


Últimas Notícias

Brasileiro

Empate com gosto amargo

Na última partida do domingo (18), Athletico e Cuiabá se enfrentaram pela 27ª rodada do Brasileirão no Joaquim Américo diante de pouco mais de 17…