12 abr 2022 - 22h35

Alexandre Mattos rebate nota do Cruzeiro: “O Athletico fez o que manda a lei”

O dirigente Alexandre Mattos rebateu nesta terça-feira (12/04/2022) a nota oficial divulgada pelo Cruzeiro acerca da negociação do atacante Vitor Roque.

A nota cruzeirense foi extremamente agressiva, acusando o dirigente e os empresários dos jogador de falta de ética e de praticar “atitudes repugnantes”.

Em entrevista à emissora de rádio mineira Rede 98, Mattos deu detalhes de bastidores da negociação pelo atleta e esclareceu que a sua conduta foi absolutamente regular.

O dirigente começou a entrevista explicando que a ida de Vitor Roque para o Furacão começou a partir de uma oferta formulada por Ronaldo, novo gestor do clube mineiro. Com problemas de caixa no Cruzeiro, Ronaldo pediu R$ 40 milhões e mais o empréstimo do zagueiro Zé Ivaldo e do atacante Jajá para ceder a grande joia cruzeirense.

INÍCIO DA NEGOCIAÇÃO

A partir disso, Mattos entrou em contato com o staff do atleta e descobriu que já havia dois clubes interessados no negócio e dispostos a pagar a multa, que era de R$ 24 milhões. Na entrevista, ele não mencionou o nome dos clubes, mas vários veículos noticiariam que se trata de Red Bull Bragantino e Internacional.

Ao descobrir o valor da multa, Mattos comunicou a Petraglia que o Cruzeiro estava pedindo R$ 40 milhões, mas que a multa era de R$ 24 milhões. “Fui no Petraglia e disse que a multa era de R$ 24 mi. Na mesma hora, o Petraglia me falou pra ligar pro Ronaldo. Na mesma hora, eu liguei para o Senhor Paulo André e o Ronaldo. Ronaldo ligou para o Petraglia. Na mesma ligação. Petraglia não quis pagar mais que a multa. E ali ficou um silêncio. Por volta das 22h00, o empresário comunicou que o jogador faria a rescisão”.

BUSINESS

“O que teve foi um negócio. Business. Cruzeiro me ofereceu o jogador por R$40 milhões mais dois jogadores. Foi aí que ficamos sabendo da multa. Então, não teve sacanagem, não teve maldade, não teve ninguém pedindo para não renovar. Não venham justificar erro, amadorismo”.

PEDRO MARTINS REVELOU O VALOR DA MULTA

O executivo atleticano contou que foi Pedro Martins, ex-funcionário do Athletico e atual gestor do Cruzeiro, quem comentou a imprudência de revelar o valor da multa para o agente André Cury, que também foi atacado na nota do Cruzeiro.

“E vou além: vou dizer como o André Cury ficou sabendo do valor da multa. Sabe como ele ficou sabendo? Porque o diretor Pedro Martins informou a ele. O Cruzeiro começou a ligar para o André para vender o jogador. Na conversa, o Pedro disse que estava fragilizado”, explicou.

ATLETA TENTOU RENOVAR ANTES

Ao contrário do que o Cruzeiro alega na nota, Alexandre Mattos diz que o atleta tentou renovar o contrato no início do ano, mas foi ignorado pelo Cruzeiro. Depois que surgiram clubes interessados, o clube tentou reverter o cenário, mas era tarde.

“Eu nem deveria falar isso, mas escutei da boca dos procuradores que desde janeiro eles tentaram renovar o contrato do Vitor Roque. Depois que fizeram a rescisão, entraram com o direito de preferência”, disse.

PENEIRA FORJADA

O executivo criticou o tom da nota oficial do Cruzeiro. Ele lembrou que a contratação de Vitor Roque pelo próprio Cruzeiro foi polêmica – o clube foi acusado de ter forjado uma peneira para tirar o atleta do América sem arcar com os ônus.

“A nota fala de ética. Quando pegaram o jogador na mão grande do América ninguém falou de ética, né? O jogador era do América. É só botar no Google”, pontuou.

O TEMPO VAI DIZER

Alexandre Mattos observou outro aspecto do negócio: o Athletico investiu muito alto em uma promessa, mas o tempo é que mostrará se foi um bom negócio ou não: “O Cruzeiro não acreditou no potencial do menino. Talvez a avaliação foi errônea daquilo que ele poderia valer. Ou não. Estamos falando de um menino. Eu tenho convicção de que pode ser um grande jogador, por isso fizemos o investimento, mas também pode dar errado. Isso é do jogo”

“O Athletico fez o que manda a lei. O Cruzeiro tem direito de reivindicar o que ele pensa. Não tem problema. Se o Cruzeiro ingressar com alguma coisa, o Athletico e o menino vão se defender. Na cabeça deles, ele valia R$24 milhões. Se é muito ou pouco, o tempo vai dizer”

EMPRÉSTIMOS DE JAJÁ E ZÉ IVALDO

O CEO de Negócios também estranhou o fato de o Cruzeiro ter reclamado do negócio mesmo tendo aceitado o empréstimo de dois atletas do Furacão: “Depois disso tudo ai, eu emprestei o Jajá, que queria ir para o Bahia, e liberei o Zé Ivaldo. E depois da liberação, eles soltaram a nota. Estamos vendo a atitude até estranha de hombridade e uma atividade covarde”.

Mattos revelou que Jajá estava praticamente acertado com o Bahia, e que tinha proposta de nove clubes. Zé Ivaldo também tinha proposta do América, mas o Furacão deu preferência ao Cruzeiro nos dois casos.

VALOR DA MULTA

Alexandre Mattos acha que essa negociação do Furacão vai fazer outros clubes prestarem atenção nas possibilidades e valorizarem suas apostas: “Isso vai abrir vários cases para os clubes prestarem atenção nisso. É uma nova etapa do futebol do Athletico Paranaense. Se fosse Palmeiras ou Flamengo, ninguém estaria falando. Mas o Athletico Paranaense vir e comprar jogador do Cruzeiro pagando a multa?”.

Na visão dele, se o Cruzeiro está descontente com a negociação deveria voltar as atenções a quem firmou o contrato: “Se acharam que é pouco é porque teve uma incompetência. Cobrem quem tinha de resolver isso. Cobrem quem tinha de ter blindado essa situação, e não quem foi lá e pagou a multa que está no contrato”.

 

 

 



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Resumão

Resolvi escrever o texto somente hoje… Depois do jogo do Ceará, em que o time fez uma boa partida, curiosamente não foi comandado por Felipão…

Fala, Atleticano

Expectativa

Pois é, o que tenho agora é uma expectativa em relação ao futuro do CAP neste ano. Mudamos de técnico, alguns jogadores chegaram, outros foram…