O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
18 maio 2022 - 14h07

Quatro derrotas, já deu!

No início desta temporada, foi informado à Nação Rubro Negra, que à prioridade era o Campeonato Brasileiro.

Já passou, seis rodadas, vencemos duas sem convencer e perdemos quatro rodadas, que nos mostra que o dito, ficou pelo não dito.

Perder para times que vem durante o campeonato mostrando que à “força” dos adversários que já enfrentamos, com exceções do Flamengo e Atlético Mineiro, não justifica às derrotas. Jogamos como time pequeno, como clube que se empatar o jogo está no lucro. Isso não é o CAP que desejávamos. O CAP que desejávamos era para ser competidor.

Tenho consciência que não iremos ganhar todas, mas, já que priorizaram o Brasileirão, então vamos jogar para vencer e não para perder. Se à Libertadores não é prioridade ao invés do Brasileirão como informado, devem ter a consciência que três competições não se consegue vencer todas, e aí temos que escolher, qual será mais prejudicial ao CAP se não chegar a lugar algum.

Na minha opinião, é o Brasileirão, porque se cair para ZR e ficar na segunda divisão tem perda de renda e isso com certeza irá deixar o Petraglia muito triste. Já que para ele futebol é só máquina de fazer dinheiro e não tem emoção envolvida nisso.

E como já perdemos o que tínhamos que perder neste Brasileirão, se quisermos nos manter na primeira divisão, teremos que começar à vencer à partir deste domingo, contra o fraco Avaí (com todo o respeito), é manter um grupo de titulares permanentes, independentes de qual competição estará disputando.

Esta conversa de rodízio não leva à lugar algum. Porque nem todos neste elenco, tem qualidade técnica para substituir um titular, que hoje vemos, com a falta de Thiago Nunes na zaga. Quem está à sua altura, para o substituir?

Se “investiu” R$ 64 milhões de reais com contratações de jogadores que estava na filosofia “com potencial”, mas, com todo respeito ao Pablo, seria um banco opcional neste momento e não titular, e deixar o Vitor Roque no banco, isso é muita falta de valorizar o que gastou. O Vitor Roque, veio por R$ 24 milhões e já mostrou que pode ser o diferencial na frente, o Pablo veio praticamente de graça e perde gol na hora que não se pode perder. Isso é que irrita a gente. Ver que temos jogadores qualificados, mas, insistem em atenderem às demências do Petraglia. E até quando isso?

Pois bem, se não revisar este pensamento, que, “fica difícil trocar roda que está rodando”, não teremos sucesso em nada, então escolher um campeonato, é à solução mais cabível neste momento, como já foi escolhido o Brasileirão, segundo o que visionário Petraglia tinha dito a impressa, então vamos colocar as melhores peças que temos para jogar, e pelos deuses do futebol, Felipão, retranca não!

O recado está dado, cabe aos cardeais do CAP agora decidirem se querem permanecer na primeira divisão ou ser campeão dos outros dois campeonatos, que para mim, será difícil à conquista, e ficar brincando de roleta russa no Brasileirão, que só irá encaminhar o CAP para à segundona ano que vem.

Este ano, não terá muito tempo, para arrumar à casa, e o melhor, é ver onde o prejuízo será maior por uma infeliz jornada e “planejamento no futebol”, se é que se pode assim dizer. No Brasileirão, Copa do Brasil ou Libertadores.

Para minha singela opinião, é o Brasileirão. E Petraglia, falar até papagaio fala, agora cumprir o que promete, eu ainda quero ver!



Últimas Notícias

Notícia

Deu tela azul, no Azuriz

Pela sexta rodada do Campeonato Paranaense o Athletico recebeu o Azuriz. E desde o início demonstrou que está em franca evolução. Já aos 4 minutos,…