15 set 2022 - 18h22

O famigerado e maltratado calendário está a nosso favor?

Até a final da Libertadores o Athletico deve fazer de sete a oito jogos no Brasileirão, já que o confronto para decidir quem vai conquistar a Glória Eterna acontece no dia 29 de outubro. Alguns dias antes, mais precisamente no dia 23 de outubro, o Athletico vai enfrentar o Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista. Com isso, é plausível que o jogo entre Furacão e Palmeiras, inicialmente marcado para o dia 26 de outubro, três dias antes do grande duelo no Equador, aconteça somente após a decisão de Guayaquil.

Nesse período que antecede a grande final, o Athletico vai disputar quatro jogos em casa (Cuiabá, Juventude, Fortaleza e Coritiba) e vai fazer três jogos fora (Santos, Corinthians e Bragantino). É interessante observar que todos os jogos do Athletico como visitante até a decisão acontecerão no estado de São Paulo. São viagens de curta distancia e vantajosas para quem utiliza logística de voos fretados com possibilidade de fazer um “bate-volta”, preservando os atletas e facilitando a recuperação física e mental para o jogo mais importante da temporada.

Não é exagero afirmar: “O jogo mais importante dos 98 anos de vida do nosso Furacão.”

Libertadores [foto: site oficial]
Em contrapartida o adversário da final, o Flamengo, deve fazer nove jogos até a decisão, cinco em casa, quatro fora, sendo que em dois jogos é necessário percorrer grande distância: Rio de Janeiro a Fortaleza (2.580,6 km), Rio de Janeiro a Cuiabá (1.932,1 km). Dentro desse recorte, ainda tem os dois jogos da decisão da Copa do Brasil, duelos previsto para 12 e 19 de outubro (ambas quartas-feiras) contra Corinthians ou Fluminense, ocasiões que certamente vão consumir física e mentalmente o adversário, independentemente do resultado.

Em contexto, são praticamente unanimidade as dificuldades apresentadas pelo calendário do futebol brasileiro: pouco tempo para treinar, jogos encavalados, viagens longas, campos ruins, temperatura. Diante disso, podemos tranquilamente afirmar: o Athletico tem uma pequena vantagem, porém, só fará sentido se o Furacão souber utilizá-la.

Pois bem. Anseio que a comissão técnica do nosso Furacão saiba aproveitar as raras semanas livres para treinar o time e encontrar uma estratégia vencedora para o grande dia.

Luiz Felipe Scolari [foto: site oficial]


Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…