O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
26 abr 2024 - 15h36

Camisa 9, ameaçado de extinção?

Sou do tempo em que cada posição era conhecida pelo número da camisa, não precisava falar o lateral direito, o segundo volante, o meia armador ou o centroavante, resumida e nostalgicamente, dizíamos: o 2, 8, 10 ou 9. E nesse breve texto, quero destacar o 9, o cara que fede a gol, que a bola ao bater na sua sombra, engana o goleiro e para nas redes. Bom, pelo menos é isso que se espera do camisa 9. Sou de uma geração que cresceu vendo Ronaldo, o fenômeno, desfilar em campo por nossa seleção, usando a mística camisa nas copas de 1998, 2002 e 2006, ele era embaçado. Mas atualmente, parece que esse cara, está cada vez mais difícil de encontrar, tal qual um animal ameaçado de extinção, quando encontrado, tem um alto valor.

Como para nós – atleticanos – o que realmente importa, é o nosso furacão, vou falar um pouco de quem, para mim, e talvez outros tantos rubro-negros, seja o maior 9 da nossa história. Filho de seu Manoel e dona Ana, o baiano de 7 irmãos, que com todo seu protagonismo, e trancinhas inconfundíveis, após passar por algumas equipes modestas, ficou conhecido nacionalmente, vestindo a 9 do Furacão, da ainda velha Baixada. Na conquista da estrela prateada (Brasileiro série B), Oséas foi artilheiro da competição com 14 gols e ainda destaque ao lado de Paulo Rink. Já em 1996, pela série A, teve boas atuações o que resultou em sua convocação para Seleção Brasileira em três amistosos, passagem essa, eternizada pelo mini craque da Coca, que até hoje figura minha prateleira de objetos colecionáveis.

Oséas ficou no Athletico até 1997, quando foi vendido para o Palmeiras, num valor que contribuiu para a reforma e construção da primeira arena do Brasil.
Com 68 jogos e 44 gols pelo Furacão, Oséas fez a alegria de muitos atleticanos, nos primeiros, dos nossos anos de ouro da era Petraglia. Para mim o primeiro atletiba que lembro, numa virada histórica no Pinheirão, Oséas fez um dos 5 gols Rubro-Negros, mas tenho certeza, que se perguntar, todo atleticano terá um fato a ser relembrado com o maior 9 da nossa história recente.

Hoje, 2024, nosso centenário, quem vestirá a 9, ou ao menos terá a função do homem gol, será o uruguaio, recém apresentado, Gonzalo Mastriani. Boa sorte, e que se torne mais um ídolo do Club Athletico Paranaense.



Últimas Notícias