30 maio 2024 - 21h39

Vergonha!! Vergonha!! Time sem-vergonha!!

Pela rodada 6 da Sul-Americana, na Ligga Arena, o Athletico só precisava dele mesmo para garantir a classificação e o primeiro lugar geral da competição.

E este foi exatamente o problema.

Assim como Fernandinho, dispensado para completar o curso de cartolagem da FIFA, o superávit também não entrou em campo.

Após reclamar da falta de tempo para treinamento, o treinador Cuca teve longas 2 semanas para se preparar para a partida decisiva. Mas aparentemente o tempo despendido no Spa do Caju não surtiu efeito, mesmo após longa folga dada aos “guerreiros” depois da última e também vergonhosa partida oficial contra o Danúbio.

Jogando contra um time que se encontra em sétimo lugar no campeonato paraguaio, o Athletico teve imensas dificuldades para criar, e não conseguiu produzir absolutamente nada.

Alex Santana até teve a oportunidade claríssima de marcar no primeiro tempo, mas foi atrapalhado por Pablo, impedido, que preferiu finalizar para o gol ao invés de deixar o companheiro marcar.

Tentando corrigir o péssimo aproveitamento da equipe, Cuca fez outra alteração no mínimo discutível. Mastriani no lugar do volante Erick.

O limitadíssimo Ameliano veio para jogar por uma única bola. E ela veio, aos 16 do segundo tempo. Após falha bisonha de Esquivel, gol dos paraguaios.

O que já era muito ruim ficou ainda pior. Cuca empilhou atacantes, apostou no limitado Di Yorio e no sempre preguiçoso Christian para buscar alguma mudança. Nada funcionou. Lançou o garoto João Cruz e Madson para tentar corrigir a bagunça e também não foi feliz.

O Athletico simplesmente não teve competência para marcar um gol em um time semi-amador do Paraguai. Perdeu chances incríveis, esbarrando na incapacidade dos seus jogadores de fazer o básico.

Mesmo estando no grupo mais fraco da competição e tendo aberta larga vantagem na primeira fase da competição, os comandados de Cuca se complicaram no segundo turno e conseguiram perder as duas partidas em casa, para equipes bastante limitadas.

Com o resultado o Athletico terá que disputar a vexatória repescagem da competição, enfrentando o segundo pior terceiro colocado da Libertadores.

A provável última partida do excelente goleiro Bento na Baixada não podia ser mais melancólica.

Durante boa parte da horrorosa partida a torcida pediu por jogadores. Ficou escancarado que a garantia de Cuca e do elenco venceu.

Futebol é feito de planejamento e resultados. No ano do Centenário, até aqui, ambos parecem ter ficado em segundo plano, mais uma vez.

 

 



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…

Brasileirão A1

Mais do mesmo…

Pela sétima rodada do Brasileirão, no Presidente Vargas, Fortaleza 1 x 0 Athletico. Se a dificuldade técnica do time do Athletico já era esperada para…