6 jul 2024 - 13h30

A janela vai abrir e o Athletico precisa abrir o bolso (e o olho)

Na próxima quarta, dia 10 de julho, se abre a janela de transferências para o futebol brasileiro.

Dentro do Athletico, realmente parece que o CEO Alex Leitão trouxe uma experiência da Disney para dentro do clube.

Ele junto com nosso presidente Mario Celso Petraglia, Andre MazZzZzZzuco e Márcio Lara devem estar vivendo a experiência de bela adormecida dentro do CT do Caju pois até o momento o Athletico não tem nenhuma (isso mesmo, NENHUMA) contratação encaminhada para a abertura da janela.

O clube que segue sem técnico no ano do seu centenário, que vem de apenas duas vitórias nos últimos 10 jogos e que está em queda livre na tabela do brasileirão.

Aparentemente, nossa diretoria acredita que este elenco limitadíssimo não precisa de reforços.

E vale ainda ressaltar que não adianta investir mal como foi feito no começo do ano.

O Athletico precisa de reforços pontuais e de qualidade em diversos setores do elenco, e alguns de nossos colaboradores da Furacão.com decidimos dar uma ajudinha para a nossa diretoria.

Juarez Villela

Zaga: tanto pelas poucas opções no elenco como pelos constantes erros, há necessidade de pelo menos um defensor para compor elenco.

Ponta: alguma opção que tenha maior poder de conclusão se faz necessária.

MEIA: um 10 para Zapelli acordar ou ficar definitivamente no banco é atitude imperiosa nessa janela.

Lara Andrade

Zagueiros: não dá para montar uma zaga que dependa de Thiago Heleno, ídolo sim, mas para continuidade como titular e líder da zaga, não dá mais, há tempos. Não temos opções no elenco para o setor, nem suficientes em número, quanto mais em qualidade técnica.

Meio Campo:  Alex Santana (já de saída), Erick e Christian não tem mais a menor condição de vestirem a camisa do Athletico. Fernandinho é genial, mas não eterno, 2024 ainda vai, 2025 com certeza vamos poder contar cada vez menos. Ataque: Nikão é ídolo, faz diferença, mas não o vejo com muito mais tempo de boa performance e até mesmo regularidade física.

Sem opções para segurar lá atras e só Fernandinho de criação podemos reforçar o que quiser no ataque que não vai adiantar.

Eduardo Souza

Zagueiros: odeio o termo “encerramento de ciclos”, mas já passou da hora de Tiago Heleno fazer a sua transição ao banco de reservas e consequente aposentadoria. Nosso General é ídolo e sempre será, mas os erros e falhas recentes estão começando a irritar o torcedor. Ainda temos o zagueiro “sofascore” Kaique Rocha e Mateo Gamarra, que na minha visão deveria ser titular. Algum desses se machuca e o outro está suspenso, quem joga?

Lateral direita: Léo Godoy ainda não se firmou e volta e meia tem oscilado entre as partidas. Mas é inconcebível Madson ser jogador de primeira divisão do campeonato brasileiro.

Meio de campo: vendemos Vitor Bueno e não trouxemos ninguém como reposição. Fernandinho hoje está sobre carregado como segundo volante e camisa 10, coisa que o seu Bruno Zapelli devia estar fazendo. Um meio de campo precisa chegar para ontem.

Ponta: nossos pontas hoje são muito voluntariosos e aguerridos. Mas como disse o Juarez aqui nesse texto, lhes faltam poder de finalização.

Ataque: Pablo nunca foi craque e só faz gol em time pequeno porque tem várias chances durante a partida e ocasionalmente faz um gol ou outro. Di Yorio nem se fala, da vontade de esmurrar a mesa só de pensar que o Athletico gastou 10 milhões com essa tragédia. Mastriani é titular absoluto, mas precisa de um bom substituto pois não vou conseguir jogar todos os jogos do ano. Seria bom uma contratação pontual, mas talvez soluções caseiras como Emerson ou Renan Viana deem conta do recado.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Tá ruim mas tá bom

Pela repescagem (ou playoff) da Sul-Americana, no Paraguai, Cerro Porteño 1 x 1 Athletico. No segundo jogo de Martin Varini no comando técnico do Athletico,…