15 out 2019 - 11h51

Coritiba é condenado por não ceder o Couto e vira notícia no exterior

O Coritiba foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Paraná pelo não cumprimento de um contrato com o Athletico, que previa o aluguel do estádio para o outro clube.

A disputa surgiu em 2017, mas tem origem em um contrato firmado pelos clubes dois anos antes. O acordo previa a cessão dos estádios entre os times em caso de necessidade (relembre o caso nas Matérias Relacionadas abaixo).

Ou seja, se o Coxa ficasse impossibilitado de usar o Couto Pereira por algum motivo, bastaria notificar o Athletico para usar a Arena da Baixada – pagando o custo correspondente pelo uso.

Em 2017, o Athletico disputava a Libertadores da América e se viu impossibilitado de jogar na Arena da Baixada contra o Santos, pelas oitavas-de-final, em razão da realização da Liga Mundial de Vôlei na Arena.

Recusa

Na ocasião, o Coritiba se recusou a ceder o seu estádio ao Furacão e a cumprir o contrato. Seria uma oportunidade para o Couto Pereira voltar a receber um jogo de Libertadores da América depois de 13 anos.

Mas a posição da diretoria acabou levando a partida para a Vila Capanema. O Coxa usou como argumento a necessidade de replantio da grama.

O Athletico entrou com uma ação, pedindo na ocasião uma decisão que obrigasse a cessão do estádio. A decisão liminar foi negada, mas o processo prosseguiu com o julgamento sobre a responsabilidade pelo descumprimento contratual.

Condenação

Houve uma sentença de primeira instância e há poucos dias o Tribunal de Justiça do Paraná condenou o Coritiba a pagamento das perdas e danos pelo descumprimento do contrato. O valor será apurado, levando em conta os prejuízos que o Athletico teve. Segundo matéria da Gazeta do Povo, apoiada em declaração do advogado do Athletico, o valor deverá ser em entre R$1,2 e 1,7 milhão.

Repercussão

Além da condenação financeira, o Coritiba enfrenta ainda um prejuízo de imagem. A decisão repercutiu internacionalmente. O Diário Olé, da Argentina, classificou a situação como “Un hecho sin precedentes”.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…