8 ago 2019 - 11h33

Athletico suspende projeto “torcida humana”

Após a conquista da J. League YBC Levain Cup / CONMEBOL Sudamericana, na manhã desda quarta-feira, o Athletico anunciou, em seu site oficial, a suspensão do projeto “torcida humana”, que excluía dos jogos na Arena da Baixada um espaço separado e exclusivo para a torcida adversária.

Em nota oficial, o clube, porém, não deixou de apontar o que considerou “sucesso” do projeto, salientando o levantamento feito por autoridades públicas (MPPR e PMPR) no início desse ano:

A coragem das instituições envolvidas no projeto demonstrou que é sim possível cooperar para a erradicação da violência nos eventos desportivos, bastando que a vontade de mudar supere o conformismo com a incômoda realidade que durante décadas se perpetua nas praças de jogo.

A suspensão, porém, partiu do clube, que elencou as seguintes considerações para a tomada de tal decisão:

  • o “esforço conjunto para propiciar a união dos clubes brasileiros das Séries A e B, mediante inclusive a criação de uma associação para tanto”;
  • “que vários clubes solicitaram ao CAP o término do período de testes do formato mencionado, possibilitando o acesso usual de seus torcedores” na Arena;
  • “que os regulamentos da Conmebol expressamente preveem a segregação da torcida visitante em suas competições;
  • “que o clube selou um acordo com a torcida organizada “Os Fanáticos” para que, a fim de viabilizar a implementação do Boulevard na área outrora por ela ocupada no estádio, houvesse o seu deslocamento para o setor Coronel Dulcídio Inferior”;
  • “que a própria torcida organizada, ademais, solicitou a permissão da entrada usual dos torcedores visitantes […] a fim de que também possa ela viajar e acompanhar as partidas do CAP realizadas fora” de casa;
  • “que o CAP espera que o exemplo levado a efeito pelo projeto citado tenha conscientizado e contribuído para a melhoria da relação entre torcedores”;
  • “que o CAP compreende que o foco maior da violência em dias de jogos ainda está relacionado a confrontos em meio aos terminais de ônibus, ruas, praças e demais espaços públicos, esperando que as autoridades competentes possam seguir envidando esforços para contornar esse cenário”;
  • “que o CAP espera que os representantes eleitos da sociedade dediquem” esforços para consolidar “alterações legislativas que permitam o apenamento rigoroso daqueles que tumultuem o regular convívio social em dias de eventos desportivos”;

Vale lembrar que a Furacao.com publicou duas matérias com críticas ao projeto “torcida humana” (confira aqui as partes um e dois), e criticou a baixa média de público no estádio rubro-negro, mesmo na melhores fases do futebol atleticano dos últimos anos, conforme recente detalhamento que pode ser novamente conferido aqui.

Os dois próximos compromissos do Athletico são fora de casa, no dia 11 de agosto de 2019, contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, e contra o Grêmio, pela partida de ida das semifinais da Copa do Brasil, no dia 14 de agosto de 2019.

Assim, o primeiro jogo na Arena da Baixada sem o projeto “torcida humana” será no dia 17 de agosto de 2019, sábado, às 19h, quando o Furacão encara o Atlético Mineiro pela 15ª rodada do Campoenato Brasileiro.

Assuntos: |


Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Faltou categoria

Em uma partida equilibrada na primeira etapa, onde o Athletico poderia ter tido uma melhor sorte e não ter saído com um placar adverso, não…