26 fev 2003 - 9h16

VITÓRIA É OBRIGAÇÃO

O torcedor atleticano anda saudoso do Furacão que varreu o Brasil em 2001. Daquele título brasileiro para cá, o rubro-negro deixou de ser avassalador. Foi pífio na Libertadores, ganhou um Paranaense sem encanto e fez um Brasileiro de 2002 sem nenhum brilho. Com a chegada de Oswaldo Alvarez, a expectativa é que o Atlético volte a causar furor. E se depender do técnico, isso começa nesta quarta-feira, às 20h30, no VGD, no duelo pelas quartas-de-final do Paranaense contra o Londrina.

“Eu vim para ser campeão. Se cheguei até aqui, quero ir mais longe, chegar ao título. Os jogadores sabem disso e vão do Atlético aquele Atlético que ficou conhecido como Furacão. Param mim e para eles agora é guerra”, diz Vadão, atiçando os ânimos rubro-negros. Com essa injeção de motivação, o treinador espera ter uma arma para reverter a vantagem do Tubarão, que joga pelo empate para seguir às semifinais. A arma de Oswaldo Alvarez não deixar de ser um antídoto contra as poucas alternativas que ele tem na equipe.

O treinador vai sustentar o mesmo time que venceu por 1 x 0 o Roma, no domingo. Defesa, meio-campo e, principalmente, ataque ganham o respaldo de Vadão. Além disso, o técnico mantém o esquema 3-5-2. Ele só torce que a dupla Ilan e Dagoberto desencante. Contra o Roma, o ataque chutou 31 vezes a gol e só fez um. “Estou dando confiança para eles e tenho certeza que vão desencantar”, diz Alvarez, como se estivesse torcendo.

Como terminou a primeira fase na quinta colocação, o Atlético vai precisar vencer o Tubarão. Se serve de esperança, contra o São Caetano, na final do Brasileiro, o rubro-negro também entrou em desvantagem. E deu no que deu.

LONDRINA x ATLÉTICO

Data: 26/02/2003
Horário: 20h30
Local: VGD, em Londrina
Árbitro: Marcos Tadeu Mafra

Londrina: Marcelo; Dé, Marcão e Luís Henrique (Márcio Alan); Jamur, Rocha, Dário, Valdeir e Fabinho; Paraguaio e Marcelo Silva
Técnico:Roberto Fernandes

Atlético: Diego, Daniel, Igor e Rogério Correa; Alessandro, Cocito, Kléberson, Adriano e Fabrício; Ilan e Dagoberto
Técnico: Vadão

Fonte: Futebolpr



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…