25 out 2001 - 21h11

Tudo vai ser diferente

Quem não ouviu falar que o Atlético sempre “pipoca” nas decisões? Para achar uma resposta, a Furacao.com conversou com o lateral-direito Alessandro e com o atacante Ilan.

Todo o campeonato é sempre a mesma história. O Atlético vai bem, chega na fase do mata-mata, “pipoca” e é eliminado como a equipe com melhor desempenho, mas que infelizmente não alcançou seu objetivo. Na memória dos torcedores ainda estão gravadas campanhas brilhantes como as do Brasileirão de 96 e a da Libertadores de 2000.

Há cinco anos, o Furacão chegou a liderar a competição e terminou a primeira fase em quarto lugar, mas acabou eliminado no confronto contra o Atlético Mineiro, o quinto colocado. O mesmo time acabou com a ótima campanha do rubro-negro na Libertadores do ano passado, graças a uma vitória na disputa de pênaltis.

Seriam apenas coincidências ou uma sina atleticana? A resposta deve vir dos próprios jogadores, os principais responsáveis por transformar uma excelente campanha em um troféu ao final do campeonato.

O atacante Ilan, que chegou neste ano ao Atlético, afirmou que nunca viveu esta história nos outros clubes em que jogou. “Se isso de pipocar já aconteceu aqui, desta vez será diferente. Tenho certeza que vamos chegar às finais”, falou o jovem jogador, que, mesmo na reserva, vem tendo algumas oportunidades no time em função de contusões e suspensões.

O lateral-direito Alessandro, ao contrário do companheiro Ilan, já viveu esta situação no Atlético e, para ele, não existe está história de pipocar. “Os adversários nesta fase também têm muita qualidade, são sempre jogos difíceis”, contou o jogador, com a experiência de já ter disputado uma Copa América pela Seleção Brasileira.

Alessandro vê na atual fase do Atlético uma situação diferente das já vivenciadas pela equipe rubro-negra, principalmente porque os jogadores não são mais inexperientes em decisões. Além de Alessandro, vários outros atletas já disputaram partidas internacionais e estiveram envolvidos em partidas de muita responsabilidade. O próprio Ilan, apesar da pouca idade, participou da conquista do Rio-São Paulo pelo São Paulo no início deste ano.

“Chegou a nossa hora de ganhar. A gente vai aprendendo com as situações vividas. Agora estamos mais maduros e sei que temos condições de, se passarmos da próxima fase, sermos campeões”, finalizou Alessandro. É o que a torcida espera.



Últimas Notícias

Notícias

Valeu, menino Rony!

Os olhos marejados não me deixavam apreciar o momento. A explosão em uma das maiores conquistas que já vivi, me faziam apenas ouvir um nome:…