2 jul 2005 - 19h00

Arquibancadas tubulares já estão sendo instaladas

A tarde deste sábado foi agitada no Atlético. O time só entra em campo neste domingo, contra o Brasiliense, mas a preocupação de toda a nação atleticana estava voltada para mais perto: a Arena da Baixada. Durante todo o dia, milhares de torcedores passaram pelo local que se tornou um verdadeiro ponto de encontro: a grade do Colégio Expoente na Rua Madre Maria dos Anjos. Do local, pode-se acompanhar com boa visão as obras de ampliação do estádio para a partida da próxima quarta-feira às 21h45 contra o São Paulo, pela final da Libertadores da América. Durante a manhã, o muro foi que separa os dois imóveis começou a ser derrubado. A queda definitiva ocorreu por volta das 16 horas, com grande comemoração dos presentes, que entoaram cânticos tradicionais da torcida atleticana.

Antes mesmo da queda total do muro, centenas de operários iniciaram as instalações das arquibancadas tubulares móveis, que ampliarão a capacidade do estádio para cerca de 41 mil espectadores. A primeira parte das arquibancadas metálicas já foi instalada sobre uma parte do setor destinado à torcida visitante. No campo das obras, o engenheiro Luiz Volpato, responsável pela construção da Arena, acompanhava de perto os trabalhos, acompanhado pelo diretor de patrimônio do clube, Jorge Vargas. Enquanto isso, bem longe dali, as articulações políticas continuaram avançando. O São Paulo pressiona de todo jeito para não jogar na Baixada, temeroso de sofrer um resultado negativo logo no primeiro jogo da final e tentando a todo custo infringir o regulamento para transferir a partida para outra cidade. O site da Conmebol chegou a divulgar que o jogo seria no Estádio Beira-Rio, mas o Atlético não foi comunicado e afirma que tem um fax da CBF no qual se concede o prazo até terça-feira para a conclusão das obras.

Enquanto não há uma definição exata do local do jogo, os torcedores podem acompanhar as evoluções na Furacao.com. Veja abaixo um apanhado de fotos tiradas neste sábado, com exclusividade:



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…