7 maio 2017 - 18h22

Sem interesse, sem reação

O Campeonato Paranaense terminou para o Atlético da mesma forma como começou: melancólico. Desinteressado pela competição desde o início, o Rubro-Negro conseguiu chegar à final a duras penas mas, na hora decisiva, foi frouxo diante do rival que, ciente das suas limitações mas determinado em busca do título, conquistou enorme vantagem ao vencer o primeiro jogo na Arena por 3 a 0 e administrou para segurar o 0 a 0 que lhe garantiu o título neste domingo (7), no Couto Pereira.

Que malemolência…

Com uma equipe mais uma vez alterada, considerando os desfalques e as substituições por opção, o Atlético, que precisava do resultado, pouco fez em campo na etapa inicial. Como o Coritiba adotou a postura de jogar no erro do adversário, o jogo ficou morno no primeiro tempo. As únicas boas chances de gol saíram aos 34′ para o alviverde, quando Anderson recebeu de Kleber e chutou sobre o marcador e aos 45′ para o Rubro-Negro quando, em cobrança de falta, Rossetto exigiu boa defesa de Wilson.

Pressão? Nem tanto…

Na segunda etapa, o que se esperava era que o Atlético fosse para cima em busca dos gols necessários para reverter a vantagem do rival. Mas a falta de inspiração dos atletas impediu qualquer reação atleticana. Diante de um Coritiba bem fechado, que se armou para segurar o resultado, o time de Paulo Autuori teve grandes dificuldades e não criou grandes chances, a não ser em outra bola parada, desta vez com João Pedro, que cobrou falta para nova defesa de Wilson. No final da partida, o Coritiba ainda levou perigo à meta de Weverton, que precisou fazer duas grandes defesas para evitar o gol e um vexame ainda maior.

E o futuro? Uma incógnita…

Superada a perda do Estadual, o Furacão tem agora outros confrontos importantes pela frente. Na quarta-feira (10), encara o Santa Cruz, bo Arruda, em sua estreia na Copa do Brasil. No domingo (14), pega o Bahia, também fora de casa, pelo Brasileirão. E, na outra quarta (17), decide a permanência na Libertadores contra o Universidad Católica, no Chile. A torcida rubro-negra segue apreensiva, diante dos resultados medíocres obtidos pelo time no Paranaense, das oscilações na Libertadores e, principalmente, da forma apática como o time vem jogando. As próximas semanas serão cruciais e o momento é de reagir.



Últimas Notícias

Opinião

A iminência

Já se sentiram na iminência de algo que poderia mudar suas vidas para sempre? Eu senti, recentemente, de uma maneira assustadora. Viagem de carro numa…

Fala, Atleticano

Generosidade?

Uma busca rápida no mais simples dicionário permite apurar que o conceito de “generosidade” remete à ideia de gentileza; de adoção de uma prática nobre…